Os elefantes na Tailndia, a disciplina na Coreia, a rigidez rabe e as multides na Malsia :: ogol.com.br | MINHO Noticias
Connect with us

Os elefantes na Tailndia, a disciplina na Coreia, a rigidez rabe e as multides na Malsia :: ogol.com.br

Desporto

Os elefantes na Tailndia, a disciplina na Coreia, a rigidez rabe e as multides na Malsia :: ogol.com.br

Provavelmente, você nunca ouviu falar no meia brasileiro Wander Luiz, mas não por seu desconhecimento a respeito do futebol. Afinal, o atleta pouco jogou no Brasil. Wander fez carreira em países como Tailândia, Colômbia, Coreia do Sul, Arábia Saudita e Malásia. Como você pode imaginar, com um passaporte tão carimbado, história não falta.

Wander saiu do Brasil ainda jovem, e sem falar inglês. Teve dificuldade para se adaptar a Tailândia, mas, no meio de uma cultura completamente diferente, se achou como homem e jogador. Se encontrou, e viu que o mundo é uma bola. As histórias começaram. Desde os insetos que os locais comiam, aos elefantes nas ruas, passando por lavar em casa seu próprio uniforme. 

“Quando cheguei, me surpreendi por ter que levar o uniforme para casa, chuteira… No Brasil, sempre tem o ropeiro que limpa a chuteira, nossa roupa… Isso eu achei bem diferente. E outra coisa que me chamou a atenção foi a estrutura dos clubes. Era uma estrutura muito ruim. Com o passar do tempo, evoluiu muito. A Tailândia é um país que cresceu muito”, começa a contar, em conversa com a reportagem. 

“Fora de campo, tinham muitas coisas que chamavam a atenção. Às vezes, a gente estava caminhando na cidade e tinha um elefante caminhando na rua. Coisa normal para eles”, brincou, apesar de ser verdade. 

Dois anos depois, Wander voltou para a América. Mais precisamente para o América, de Cali, na Colômbia. A passagem do jogador pelo futebol colombiano foi bem diferente, com maior nível, profissionalismo e pressão da torcida. 

“Tive a oportunidade de ir ao América de Cali, na Colômbia, onde tem um futebol com nível forte. Já é um clube com torcida enorme, com muita pressão. Joguei um ano e fiz, se não me engano, 11 gols. Então foi um excelente ano e cresci muito como jogador”, ressalta. 

Profissionalismo ainda maior Wander viu na Coreia do Sul. Lá, o meia recorda a pontualidade dos coreanos e a disciplina. O brasileiro conta que chegou a treinar em três períodos. 

“Os jogadores e a comissão têm uma programação muito correta a respeito dos horários. Os jogadores chegam sempre antes, não atrasam em nenhum segundo. Os jogadores gostam de treinar, sempre treinam três períodos na pré-temporada. É uma liga muito forte”, comentou. 

Ridigez árabe e multidões na Malásia 

Wander Luiz chegou a voltar ao Brasil em algumas ocasiões, defendendo XV de Piracicaba e Tombense, mas sua carreira ficou mesmo marcada por passagens fora do Brasil. O atleta defendeu ainda o Al Raed, da Arábia Saudita, e no país árabe encontrou as principais dificuldades longe de casa. 

“Foi o país mais rígido para viver. Na minha época, minha esposa não poderia dirigir. Isso dificultou muito minha jornada por lá. Apesar de o futebol ser muito forte, eu quis sair do país por causa disso. Os clubes pagam bem, tem bons CT´s, mas o lado familiar pesa”, lembrou. 

“O momento mais difícil foi quando minha esposa retornou ao Brasil, porque ela estava grávida. E, graças a Deus, meu filho nasceu com saúde. Mas foi difícil ser pai longe”, completou. 

Entre as dificuldades, Wander tenta guardar alguns momentos bons. “Era engraçado quando vinham aquelas tempestades de areia. De repente, no campo todo você enxergava areia. Tinha que parar tudo e voltar a treinar no outro dia. Era algo que você só consegue ver no mundo árabe”. 

Atualmente, Wander atua na Malásia, e destaca a paixão do povo local pelo futebol. Os campos estão sempre cheios, como destaca, e os clubes estão aumentando o investimento no esporte. 

“O futebol malaio está crescendo no dia a dia. Estão trazendo jogadores e técnicos de outros países. Isso ajuda muito. Todos os jogos, sempre tem torcida. Geralmente são 20, 30 mil pessoas nos estádios. E é um futebol que você tem que estar bem fisicamente. Eles correm muito”. 

Wander Luiz foi um dos destaques no último campeonato malaio. Sua equipe, o Perak F.A, ficou em segundo na liga, conquistando vaga na Liga dos Campeões da Ásia. O meia se destacou também com gols. 

“Ano passado foi muito bom. Além de sermos campeão de uma Copa, ficamos em segundo na liga e fiz 16 gols, um número excelente para um meia. Espero que em 2019 eu consiga ainda melhorar a cada dia mais”. 


Source link

Continue Reading
You may also like...

More in Desporto

To Top
%d bloggers like this:
Ir para a barra de ferramentas