Talento italiano, azelhice brasileira :: zerozero.pt

Liga dos Campees

Figuras do Jogo

Os destaques da noite em Roma

2019/02/13 00:56

ENVIADO ESPECIAL REPORTAGEM: Lus Rocha Rodrigues, em Roma;

Mdio

19 anos

Nicol Zaniolo

Tem ali aquele perfume…

É bom que se diga: até aos golos, pouco ou nada tinha conseguido fazer. Mas é isso que distingue os grandes jogadores. E Zaniolo não apenas vai ser, como já é um craque. Muita da Europa está a conhecê-lo. Muitos portugueses conheceram-no hoje e pelos piores motivos para as aspirações portistas. Zaniolo tem classe, força, critério e frieza na decisão. É excelente na forma como aparece na área e, opinião mais própria, diríamos que é melhor atrás do avançado do que preso a uma linha. Mas decidiu o jogo, por isso foi estrela incontestável.

Avanado

32 anos

Edin Dzeko

Fez um bis… no ferro

É um perigo constante e uma das grandes referências desta equipa. Desta vez, a pontaria foi aos postes da baliza de Casillas, sendo que a segunda deu em golo na recarga. Além disso, soube sempre muito bem contornar os centrais portistas. Longe da baliza, foi pouco capaz de dar fluidez à equipa, mas no último terço foi exímio e determinante.

Mdio

22 anos

Lorenzo Pellegrini

Soube dar sentido de baliza

É verdade que foi sempre barrado, mas foi o elemento romano que, na primeira hora de jogo, mais procurou carregar a equipa e levá-la para a frente. Muito bom envolvimento com as faixas, bem no aparecimento à boca da área, não tão feliz a finalizar. Mas, numa altura em que crescem as soluções no meio para Di Francesco, mostrou que o seu lugar é no onze.

Guarda Redes

37 anos

Iker Casillas

Evitou males maiores

Não podemos jurar, mas quase: ainda desviou com os dedos a bomba de Dzeko ao poste. Posto isso, e pese embora ter sido pouco eficaz num ou noutro cruzamento (problemas eternos), foi muito bom entre os postes, tirando golos a Pellegrini, Zaniolo e Kolarov. Uma última barreira que não podia fazer muito mais do que fez.

Defesa

27 anos

Kostas Manolas

Portistas secos

É verdade que houve desinspiração ofensiva dos avançados portistas, mas houve também muito mérito dos centrais romanos. Fazio e Manolas estiveram eficazes, ora optando pela antecipação (mais com Fernando Andrade), ora a evitar que Soares rodasse quando recebia de costas para a baliza. Por aqui, a lição da Roma esteve muito bem estudada.

Avanado

31 anos

Adrin Lpez

Deu nova vida

Entrou para a saída de Brahimi e a equipa começou por se ressentir, sofrendo logo depois dois golos após ter ficado órfã do argelino. Porém, sem que se desse muita conta, foi por Adrián que as coisas melhoraram ofensivamente. Foi ele que trouxe a triangulação e, por consequência, o desequilíbrio no último terço. E trouxe ainda o golo, que tanto jeito pode dar.

Avanado

26 anos

Fernando Andrade

De surpresa a… quase nada

A estreia na prova milionária foi em plenos oitavos de final. Compreensível, mais do que aceitável que as pernas possam tremer de vez em quando. E temos de dar o desconto, pois falamos de um jogador que, há menos de um ano, estava na segunda Liga. Mas esperava-se e pedia-se mais a Andrade, que nunca conseguiu estar realmente ligado ao jogo e que foi, provavelmente, o que menos percebeu a ideia de Sérgio Conceição, tão poucas foram as vezes que conseguiu diagonais com êxito… se é que era isso.

Defesa

29 anos

Felipe

A face mais visvel

Aqui temos de ser mais duros: parece cada vez mais visível que a equipa não está melhor defensivamente desde que Militão encostou à direita. A saída a três não funciona, a procura do jogador entrelinhas, com passe rasteiro, dá várias vezes em contra-ataque adversário, o jogo direto sem Marega surte muito menos efeito. Pepe não esteve melhor do que Felipe, mas os erros do brasileiro foram ainda mais visíveis.


Source link