Vendas a retalho do Brasil cresceram 2,3% em 2018 | MINHO Noticias
Connect with us

MINHO Noticias

Vendas a retalho do Brasil cresceram 2,3% em 2018

Desporto

Vendas a retalho do Brasil cresceram 2,3% em 2018

As vendas a retalho no Brasil registaram uma subida de 2,3% em 2018, o maior crescimento em cinco anos, divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a mesma fonte, o resultado deve-se à subida das vendas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+3,8%), produtos e artigos de uso pessoal e doméstico (7,6%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (5,9%).

“Supermercados, artigos pessoais e farmacêuticos englobam produtos que fazem parte do quotidiano das pessoas. Diante de uma economia estável, são setores que naturalmente apresentam crescimento”, frisou Isabella Nunes, gerente da pesquisa do IBGE.

A recuperação do retalho brasileiro coincide com a melhoria dos indicadores macroeconómicos do país, cujo Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1%, em 2017, e deve registar uma subida de 1,3% em 2018, segundo as previsões dos economistas do mercado financeiro.

Soma-se a essa melhoria a baixa inflação, que atingiu 3,75% em 2018, e a leve queda na taxa de desemprego, que caiu para 12,3% no ano passado.

Apesar dos dados mais favoráveis e do crescimento registado no acumulado do ano, as vendas a retalho perderam fôlego no segundo semestre devido à alta do dólar.

“Foi um semestre marcado pela alta do dólar, por incertezas diante do período eleitoral e pela recuperação da greve dos motoristas de camião, mas, no geral, com saldo positivo”, avaliou Isabella Nunes.

No índice mensal, as vendas a retalho em dezembro caíram 2,2% em relação às de novembro, no que foi o pior resultado para o mês desde 2000, porém, cresceram 1,8% na comparação com dezembro de 2017.

“Como em novembro as vendas dispararam por causa da Black Friday, já era esperado que dezembro registasse uma queda”, explicou a gerente do IBGE.

No retalho ampliado, que inclui os ramos de veículos e materiais de construção, as vendas tiveram uma subida de 5%, a maior dos últimos seis anos.

O resultado teve forte influência das vendas de veículos, motos, partes e peças, que cresceram 15,1% em 2018, a taxa mais elevada desde 2007, quando cresceu 22,6%.

“Esse desempenho pode ser explicado pela melhora nas condições de financiamento, refletida na redução das taxas de juros e no aumento do volume de crédito para aquisição de veículos”, concluiu a pesquisadora do IBGE.




Source link

Continue Reading
You may also like...

More in Desporto

To Top

Powered by WP Robot

%d bloggers like this:
Ir para a barra de ferramentas